Twitter

Total de visualizações de página

quarta-feira, 6 de novembro de 2013

Justin Bieber chama grupo de brasileiros de 'piores fãs do mundo'


O artista de 19 anos não gostou de ser seguido por fãs até São Conrado, onde pichou muro, e mandou segurança pegar chave e furar pneu do carro em que o grupo estava

iG
Rio - Justin Bieber está causando uma série de polêmicas no Rio de Janeiro, onde está hospedado após fazer dois shows no Brasil. Na madrugada desta segunda para terça-feira, o astro teen canadense acabou tratando mal um grupo de fãs durante a sessão de pichação que fez no muro do antigo Hotel Nacional, em São Conrado.
Os admiradores o seguiram da casa em que ele está hospedado no Joá, até o local. Esses fãs chegaram a ajoelhar e implorar para serem atendidos pelo cantor. Segundo Norton Barboza, que estava no grupo, depois de uma primeira abordagem, os seguranças resolveram "partir para a ignorância". "Depois que os reencontramos, os seguranças vieram até o nosso carro e tentaram tirar a chave da ignição. Como eles não conseguiram, voltaram com uma faca e furaram o pneu do carro", relatou o adolescente no Facebook.
Ainda segundo Barboza, o cantor saiu do carro e disse ao grupo que estava muito decepcionado. "Ele disse que éramos os piores fãs do mundo, que tinha uma vida. Mas a gente ficou o dia todo esperando para falar com ele. Não temos R$ 3 mil para pagar e estar com ele!", reclamou o garoto.
Justin Bieber está na mira da 15ª DP (Gávea) por ter pichado muro
Foto:  Ag.News
Minutos depois dessa situação, os seguranças do cantor teen atacaram dois fotógrafos que estavam registrando o momento em que Justin pichava. De acordo com os fotógrafos, tudo aconteceu entre 3h e 7h da manhã desta terça-feira. Até uma equipe da polícia da UPP da Rocinha foi chamada para dar suporte aos profissionais. Depois das agressões, os seguranças negociaram com eles para que eles não prestassem queixa.
"A gente pediu que ele ao menos atendesse as fãs que estavam implorando e ele o fez", explicou o fotógrafo. Na parede, Bieber deixou escrito "respect privacy" (respeitem a privacidade, em português) em alusão ao que aconteceu.
De lá de São Conrado, Bieber seguiu até a praia da Barra da Tijuca, na Zona Oeste do Rio, onde foi se exercitar. Logo em seguida, bebeu uma latinha de refrigerante e mostrou o dedo médio para os fotógrafos.
Justin Bieber grafita muros de São Conrado sem autorização
Foto:  Delson Silva e Gabriel Reis / Ag. News
Celebridade teve escolta para pichar muro
Na noite desta terça-feira, o delegado Antônio Ricardo, titular da 15ª DP (Gávea), enviou uma equipe da delegacia até o local onde o cantor está hospedado para que ele e seus seguranças fossem ouvidos. “Temos que saber se houve uma autorização do proprietário para essa pichação. Se não houve, configura crime de menor potencial ofensivo. Além disso, a celebridade em questão teve escolta para pichar o muro. Isso é um absurdo. Pode não parecer, mas aqui temos leis”, disse o delegado Antônio Ricardo.
A Prefeitura do Rio ressaltou que a pichação é proibida, entretanto, costuma fazer parcerias com
grupos de grafiteiros em alguns locais da cidade, como no terminal da Alvorada, na Barra da
Tijuca. “Mas não foi o caso do Bieber”, diz a assessoria.
Agressões
Gabriel Reis, um dos paparazzi que fotografaram a pichação, contou que teve seu carro atingido por um paralelepípedo, que foi jogado por um dos seguranças do cantor, e foi ameaçado por eles.
“Ele quer guerra, então vai ter. Estou preocupado ainda, porque sei que eles (os seguranças) podem vir na covardia de novo. Bateram muito no outro fotógrafo que estava lá. O enforcaram com um cinto e ele teve o braço muito machucado. O Justin estava muito alterado. Ele não pode ser uma pessoa normal. Primeiro, ele me xingou, me provocou me chamando pra briga. Depois de cinco minutos, veio conversar comigo numa boa, como se nada tivesse acontecido. Ainda me perguntou se eu gostei dos desenhos que ele fez”, indignou-se.
Reis também contou que depois das agressões, os seguranças negociaram com os fotógrafos para que eles não prestassem queixa. "A gente pediu que ele ao menos atendesse as fãs que estavam implorando e ele o fez", explicou o fotógrafo. Na parede, Bieber deixou escrito "respect privacy" (respeitem a privacidade, em português) em alusão ao que aconteceu.
Justin Bieber negociou fotos com fãs para não ter queixas na polícia
Foto:  Delson Silva e Gabriel Reis / Ag. News
Passagem conturbada pelo Brasil
Ao pisar na cidade (diferentemente da primeira vez em que veio, em 2011), Justin deu sinais de que seus dias por aqui seriam bem agitados. Depois de sair coberto por um lençol branco de um prostíbulo da Zona Sul, o cantor tentou entrar com prostitutas — sem sucesso — no Hotel Copacabana Palace, onde estava hospedado inicialmente. Furioso por não ter conseguido burlar as regras do estabelecimento (que não permite prostituição no local), Bieber e seus seguranças quebraram vários objetos do quarto, deixando um prejuízo calculado em torno de R$ 12 mil. Como consequência, o cantor e sua equipe foram expulsos do hotel.
Kid Bengala
Nas festinhas íntimas que deu na mansão que alugou, Justin pôde ficar um pouco mais à vontade. Mas a prima de uma das meninas que foram escolhidas em uma boate onde o cantor esteve, para participar do ‘evento seleto’, contou ao DIA que a farra era regada a bebida alcoólica e maconha. Além disso, Justin só fazia figuração. Quem se dava bem mesmo com a mulherada eram os seus seguranças, apelidados pelas moças de Kid Bengala.